.: Lua, de Luana

Uma mulher que gosta de viajar e conhecer lugares/pessoas.
"Lua vai dizer" foi inspirada na música de Katinguelê, a "Lua vai iluminar os pensamentos dela". Sendo assim, pretendo iluminar os caminhos de vocês. Boa viagem! :)

quarta-feira, 4 de maio de 2016

Petrolina - Pernambuco

Aproveitando a onda da novela global "Velho Chico", venho mostrar uma parte do meu Pernambuco (uma parte mesmo, beeeem distante da capital) que é Petrolina. Localizada a 712km de Recife, capital de Pernambuco, o grande atrativo da cidade, o charmosão do lugar, é o rio São Francisco. Lá Bahia e Pernambuco estão bem próximas, de um lado Petrolina e "atravessava a ponte, mais que alegria! Chegava em Juazeiro, Juazeiro da Bahia", cantava Luiz Gonzaga.

De um lado Petrolina e do outro Juazeiro: a ponte, as pessoas e o Nordeste as ligam

COMO CHEGUEI: de avião Recife-Petrolina. Ir de carro não é a melhor opção para quem vem do litoral, não só pela distância, mas pelo perigo que a estrada e o caminho trazem. Com uma hora de vôo, cheguei lá :)
Daqui a uns anos... Haja vinho!
Taças para a degustação
Foi apenas um final de semana e basicamente deu pra conhecer quase tudo em Petrolina. Logo no sábado de manhã fechamos um passeio com a Vapor do Vinho para conhecer uma vinícola - fazenda produtora de uvas e vinhos. A maior fonte de renda da cidade é a fruticultura de uva, manga, banana e a pecuária, todos banhados e abençoados pelo rio. Na vinícola Ouro Verde vemos todo o processo: desde a extração da uva, seu processo de fermentação, os barris que armazenam o futuro álcool da night e o envasamento. Inclusive fui cobaia para provar o ~vinho~ com teor alcóolico de quase 80% e um de 50%. Brinque não, a "aguinha" queima até a alma! Ao final de todo o roteiro aprendemos como degustar o vinho. Se liguem: cheirar, ver a cor e degustar não são apenas frescura, mas sim as principais ações pra saber se o vinho é bom ou não. Outra dica é conhecer a vinícola Santa Maria/Rio Sol, uma das maiores de lá e cenário da série "Amores Roubados", da Globo.

Barco rumo à barragem de Sobradinho
Ilha do Maroto. Vida marota...
Após a vinícola fomos a uma plantação de mangas. Gente, a manga é um mel! O engraçado é que essas frutas ma-ra-vi-lho-sas são exportadas, então o que fica pra gente é no mínimo uma azedinha (ou mais cara). Após as mangas, seguimos rumo a barragem de Sobradinho. No barco, comida regional deliciosa, música ao vivo e um belo visual para um início de tarde. Ao longe, a hidrelétrica começa a aparecer. Nela fizemos algo que só ouvia falar nas aulas de Geografia: a eclusagem (vídeo abaixo). É uma espécie de elevador que facilita as embarcações transitarem no rio. Se vem debaixo sobe, se está em cima desce. Bem interessante... À noite fomos conhecer o Bodódromo, conjunto de restaurantes em que a especialidade, adivinha, é o bode (mas dizem que é carneiro...hahaha). Ótimo lugar para jantar, provar uns petiscos, conversar com os amigos e fechar o dia com estilo.


Mangas prontas para a exportação
Manga docinha, melhor que sorvete
No domingo fizemos um passeio de barco pelo rio rumo a ilha do Maroto. Nunca me senti tão rica tomando banho no rio mais rico do Nordeste, tão cheio de histórias, belezas e discussões ambientais. Em Petrolina tem também a ilha do Rodeadouro, a mais conhecida e frequentada da cidade. Deve ser a praia de lá. Após o passeio de barco e um banho refrescante demos uma volta no centro da cidade e fomos ver um filme no shopping. É, tem gente que adooora conhecer shopping na cidade que chega e, confesso, lá foi falta do que fazer mesmo, hahaha.
Uma cidade no extremo de Pernambuco, Petrolina é famosa na tv, nas músicas, nas artes e na história do nosso Brasil. Indico porque é do meu lugar, indico porque vale a pena.
Beijos com sabor de suco de uva e cara de carranca (não, kkkk).

Nenhum comentário:

Postar um comentário