.: Lua, de Luana

Uma mulher que gosta de viajar e conhecer lugares/pessoas.
"Lua vai dizer" foi inspirada na música de Katinguelê, a "Lua vai iluminar os pensamentos dela". Sendo assim, pretendo iluminar os caminhos de vocês. Boa viagem! :)

domingo, 21 de agosto de 2016

Triunfo - Pernambuco


Portal na entrada de Triunfo
ONDE FICA E COMO CHEGAR
Triunfo está localizada a 400 km de Recife, na divisa com a Paraíba, no sertão pernambuco. A cidade está a 1010 metros acima do nível do mar e não vê chuva há 4 anos, imagine só. 
Numa sexta fui de carro, saindo de Recife, com duas amigas. A estrada até Arcoverde é boa, sendo a maioria do trajeto com pista duplicada. O GPS deu uma enganada já perto de Triunfo e entramos antes, sentido Jericó (fiquei até esperando Jerusalém aparecer, hahaha), pois mostrava uma pista para lá. Mentira, tem não! A dica é seguir as placas "Sesc Triunfo" para não ter errada. A estrada é aladeirada, com declive acentuado, cheia de curvas e de pista simples. Toda cautela é bem-vinda ;) 

HOSPEDAGEM
Na pousada Opção, muito bem localizada, simples e aconchegante. As melhores opções de hospedagem em Triunfo são o SESC Triunfo e a pousada Baixa Verde. A cidade é pequena, então basicamente tudo se conhece a pé ou em pequenos trajetos de carro. Chegamos na sexta a noite e estava acontecendo o Festival de Cinema de Triunfo. Muitos restaurantes estavam fechando por conta da hora, mas conseguimos jantar no Papo Pizza. Música ao vivo, comida boa, ambiente agradável e até a presença da global Maeve Jinkins, a homenageada do festival. A temperatura era de 18º, mas a sensação térmica devia ser de 10º. Let it go, let it go... Frozen estava por lá.

O Careta e as Olímpiadas: colorido sempre presente na cidade

PONTOS TURISTICOS
Lago da cidade com o teleférico, que não funciona mais)
No nosso PRIMEIRO DIA, um sábado de sol, saímos da pousada rumo ao centro, onde fica o lago que é o cartão-postal da cidade. Ao redor ficam vários restaurantes, espaços de artesanatos e lojas, então além da caminhada a gente conhece um pouco da cidade. Neste lago tem um teleférico bastante conhecido, porém devido a um acidente que ocorreu com um funcionário do SESC, que administra o teleférico, o mesmo não funciona mais e sem previsão de retorno. 
Barris cheios de cachaça, no engenho
A pé fomos para o engenho São Pedro, onde podemos ver todo o processo da cana, da cachaça e da rapadura, que você pode comprar no final da visita. O cheiro doce faz parte de todo o percurso, achei bem legal. Ao fim provei a cachaça pura e a envelhecida, com sabor agradável, porém forte. Para quebrar a "bebedeira" comprei rapadura com amendoim, rapadura com laranja e com leite e coco. Almoçamos no restaurante Coisas de Maria uma deliciosa picanha. De lá seguimos para o passeio do Pico do Papagaio.


                                        
Provando a cachaça envelhecida... hahaha

O passeio para o Pico do Papagaio, ponto mais alto de Pernambuco, é feito numa
Cacimba, de baixo

 4 x 4, então nem arrisque pôr seu carro na estrada que é bastante pedregosa e inclinada. O valor do passeio é em torno de R$ 150 para 6 pessoas e escolhemos o horário da tarde para ver o pôr-do-sol. A primeira parada é na Cacimba d'água de João Neco, que foi feita manualmente há mais de 60 anos e que salva a pátria abastece duas casas, principalmente nestes períodos de seca. A construção levou um ano e contou com a ajuda de mais 2 homens, pois João Neco era cego de um olho. Eu vendo com os dois e com ferramentas iria cansar, imagine nestas condições... A segunda parada foi na Furna dos Holandeses, uma gruta que dizem ter abrigado os holandeses que fugiram da Batalha dos Guararapes. Naquela distância toda era muita disposição pra fugir viu!

Estátua do Careta, representante cultural de Triunfo, no Pico do Papagaio

Gratidão <3
A terceira parada foi no Pico do Papagaio que está a 1260m de altitude e de um lado vemos a cidade de Princesa Isabel, na Paraíba e Triunfo, em Pernambuco. O vento frio e a vista de um horizonte sem fim tornam o lugar muito mais bonito, agradável e prazeroso de estar. Para começar a noite de sábado jantamos na pousada Baixa Verde um delicioso fondue misto de carne com molhos diversos (tem que agendar antes e não é necessário ter se hospedado lá). Pra adoçar e esquentar, um bom chocolate quente. De lá fomos ouvir um forró pé-de-serra no restaurante Casarão, lugar arrumadinho e agradável.   


Eu que sou fanática por pôr-do-sol vi um espetáculo desses lá :)


Divisa Paraíba-Pernambuco
Gramophone

No nosso SEGUNDO DIA, domingo de volta para a casa, conhecemos a Casa Grande das Almas, que tem esse nome porque fica na "cidade" de Almas e a casa era a maior da época. Todo mundo pensa que vai ver malassombro lá... Vê não, fique de boas, hahaha. A casa é cheia de objetos antigos e um fato interessante dela é que a mesma fica na Paraíba e Pernambuco ao mesmo tempo. E um dos cômodos, dizem, abrigou Lampião por uma noite. De lá fomos conhecer o Museu do Cangaço, que conta um pouco da história dos cangaceiros, armas e objetos da época. O museu é pequeno, porém a gente relembra um pouco pra quem assistiu as aulas de História dos fatos ocorridos no sertão nordestino e quem foi Lampião, o cangaceiro arretado. Pra finalizar a viagem, tentamos conhecer a Fábrica de Criação Popular, uma antiga cadeia que virou um espaço cultural, que utiliza de materiais recicláveis para construir obras de arte, porém a Fábrica não é aberta aos domingos. Uma pena.

Este foi o resumo dessa mini trip de final de semana que rendeu boas fotos e um pouco de paz em cada lugar. Explorem o interior do nosso Pernambuco, é lindo!

Beijos com cara de careta e sabor de rapadura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário